Cidades portuguesas prontas para receber Wi-Fi gratuita patrocinada pela UE

O fundo da União Europeia para hotspots de ligação à Internet sem fios gratuita é sobretudo popular na Portugal e na Bulgária, Bélgica, Croácia, Itália, Malta, Eslovénia e Roménia. Verifique se o seu município está pré-registado.

O fundo da União Europeia para hotspots de ligação à Internet sem fios gratuita é sobretudo popular no Portugal e na Bulgaria, Bélgica, Croácia, Itália, Malta, Eslovénia e Roménia.

A iniciativa, denominada WiFi4EU, já alcançou o interesse de cerca de 17 mil municípios europeus que se pré-registaram para receber um vale, que pode ser utilizado para pagar às empresas de instalação de serviços de Internet para configurarem a infraestrutura da rede Wi-Fi. No entanto, espera-se que apenas cerca de 2500 municípios beneficiem do fundo ao abrigo do orçamento de 2018.

O primeiro convite à apresentação de candidaturas foi lançado na terça-feira (15 de maio) e os vales foram distribuídos por ordem de apresentação de proposta aos municípios que tinham efetuado o pré-registo – que podia ser efetuado até às 12h00 (hora de Portugal Continental) de terça-feira – e, em seguida, candidataram-se através do Website do fundo.

Antes do fim desse prazo, o EUobserver e a European Data Journalism Network tinham-se juntado para verificar de que países provinham os municípios europeus que tinham efetuado o pré-registo.

Ao observar as diferentes regiões da Europa e a quota de municípios que efetuaram o pré-registo, destacam-se alguns países. Os países do sul da Europa tiveram nomeadamente uma elevada taxa de pré-participação.

Quase todos os municípios em Malta se registaram e o mesmo é válido para 75,4% das cidades em Sicília. A região adriática da Croácia, denominada Jadranska Hrvatska, tem uma taxa de 70,9%. As taxas de pré-registo também foram elevadas nas regiões ocidentais da Alemanha e na Bélgica.

No final da lista encontram-se a República Checa, a região sul da Grécia e o Reino Unido, locais onde a iniciativa não se revelou muito popular. À exceção do Reino Unido, talvez a falta de conhecimento do fundo possa servir de explicação, juntamente com o facto de a oferta de Wi-Fi disponível ao público já ser suficiente.

Na Irlanda do Norte, nenhum município efetuou o pré-registo, e foram muito poucos os que o fizeram no resto do Reino Unido, que apenas será elegível após o Brexit se forem implementadas disposições específicas. Apenas as Terras Altas e as ilhas da Escócia se destacam, com 4,7% dos municípios pré-registados. Considerando o Reino Unido na íntegra, apenas 0,8% dos municípios efetuaram o pré-registo.

Ao observar a quota de municípios dos 28 países da UE, Malta lidera a lista com 97,1% dos municípios pré-registados, seguida da Portugal (89%), Bulgária (84%), Grécia e Lituânia (83%), Irlanda (79%), Croácia (74%), Eslovénia (61%) e Bélgica (55%).

Considerando outra perspetiva, baseada no mesmo mapa acima, é possível ver que os três maiores Estados-Membros da UE agregam o maior número de municípios pré-registados. A Itália (49%), a Alemanha (23%) e a França (6%) reúnem quase metade de todos os municípios pré-registados.

Isto deve-se à sua dimensão e ao elevado número de municípios. Devido à distribuição por ordem de apresentação de proposta, é provável que apenas alguns Estados-Membros obtenham a maioria dos vales disponíveis, caso sejam rápidos. No entanto, neste primeiro convite à apresentação de candidaturas, cada país da UE receberá pelo menos 15 vales.

Se quiser saber se o seu município efetuou o pré-registo, pode consultar este link (atenção: o carregamento pode ser demorado).

Terça-Feira, 15 de Maio de 2018

Tradução de:

Rita Azevedo | VoxEurop

Tags

Internet

Em profundidade